- o que você procura?

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

- desperto

Te acordei contando meu desespero
Sobre não consigo dormir.
E, toda vez quando me vejo no espelho,
Sinto-me desbotando a ponto de sumir.

Você me acalma sempre que me aborreço,
Mas sei bem que às vezes não gostaria de estar ali.
Fecho os olhos e desapareço.
Assisto aos filmes de retina que não me deixam dormir.

Eu velo teu sono em segredo
Sentado perto da janela, lhe contando tudo que vi.
E no outro dia eu continuo o mesmo,
Mesmo você sabendo que não consegui dormir.

Ainda rio dos seus pesadelos
- Como deve ser sonhar com coisa ruim?
Estou cansado e sinto um aperto
Por não conseguir dormir.

Dividimos o mesmo travesseiro,
Então você me diz que não envelheci.
E diz que tudo isso é passageiro
Que já até sonhou que eu conseguia dormir.

Eu fecho os olhos mas eu sinto medo
É mais forte do que eu, parece me possuir.
E tudo acaba quando eu amanheço,
O sol me sangra as lágrimas ao sair.

Me sinto bem quando ainda é cedo,
O único momento que pareço reagir.
Mas à noite, quando com você me deito,
O perfume forte de sangue e flores não me deixam dormir.