- o que você procura?

sábado, 5 de julho de 2008

- homens do cerne

- Ao que dedico esta labuta
Se não mais pelo meu reino?
Melhor do que ser filho de puta
Ou ser filho de carpinteiro!

- Que isso que me dizes?
É blasfemia à religião?!
- Olha, não me importa o que veio primeiro
Se sou livre ou uma predileção.

Eu desconheço, qualquer que seja,
O homem que não seja cão.
E dou-me luto para quem almeja
Ter o infinito ao alcance das mãos.

Da terra vens e voltarás,
Digno de pena ou não.
O que difere é o que se acredita,
Jazido no ataúde após a exumação.

Diga amém ao que conhece
Porque os vermes não se importarão
Com teu conhecimento amplo
Ou com a tua alienação.