- o que você procura?

quarta-feira, 31 de março de 2010

- verdade passada

Na verdade, não há verdade
Que eu compreenda
Se eu não sei se a entendi.

Mas sei que a realidade
É uma tormenta
Que não se pode repartir.

Se você sabe,
Deveria não me confundir
Com sua verdade
Que presumi não ter que dividir
Com ninguém.

E era tarde
Quando eu vi você partir.
Não é maldade,
Mas havia tanto a se discutir,
Mas teve um porém.

Pedi sinceridade
E, você sabe, não podíamos mentir.
Eu entendo sua verdade,
Mas preciso de tempo pra me reconstituir
Da dor que não sei de onde vem.

Mas saiba, em verdade,
Mesmo que não entenda,
Era com você que eu queria fugir.

Ir além da vaidade
Dessas conversas de venda,
Onde pudéssemos enfim nos iludir.