Páginas

- o que você procura?

domingo, 28 de outubro de 2012

- o Universo das coisas

O Universo é transitoriedade
e nele não existe métrica,
não é possível mensurar sua idade
ou criar qualquer que seja a replica.

No Universo está a gênese de Tudo
mesmo tendo como base o Nada;
por isso, revela-se como oceano profundo
e também como água represa e rasa.

No Universo, milênios são segundos;
caos e harmonia, sinônimos de Unidade
- e, nós, imagem e semelhança do absoluto,
nascemos e renascemos do ventre da Eternidade.

O Universo é também nosso fruto
e projetamos nele faces da Verdade;
não existindo o que seja falso ou irresoluto,
e sim a manifestação do que é constante:

a Singularidade


12 comentários:

  1. - que mundo extraordinário seria , se cada ser humano fosse mesmo singular.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e é, Cleber. somente depende do que enxergamos em nós mesmos, e o que projetamos no mundo.

      Excluir
  2. olho muitas vezes o céu e penso no Universo
    tão vasto, tão imenso

    sei que sou um pequeno ponto, um nada
    mas eu sou eu e ponto

    [sempre uma forma sábia de ver/escrever sobre as coisas]
    beijinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. - Querida Raquel.
      Você é capaz de mudar o mundo. E sempre será.
      Tudo depende do que se cultiva em nossa alma.

      Excluir
  3. O Universo é vasto em significações.

    Um Beijo.

    ResponderExcluir
  4. E olha a poesia dele de volta aí!! A-d-o-r-o!!!
    Temos o universo dentro de nós e nós estamos dentro dele. A conexão está aí o tempo todo, basta que saibamos observá-la melhor.

    Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. - que lindo, Larissa.
      acredito nisso também. Não há nada mais bonito do que o potencial que reside em nós mesmos.

      saudades.

      Excluir
  5. Um punhado de singularidades compartilhadas, absorvidas e multiplicadas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. - unicidade de sermos muitos é verdadeiramente maravilhosa.

      Excluir
  6. Belo poema!
    Lembro-me de certa vez ter visto um documentário falando que o formato de uma concha espiral de um caracol está refletida e é do mesmo formato de uma nebulosa ou uma galáxia. Quando percebi isso achei fantástico e vi que, sim, carregamos sempre um pedaço do universo.

    Abraços,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. - Olá, Valter!
      acredito que não só carregamos parte do Universo em nós, como também, nós somos o Universo todo. Sempre lembro de uma alegoria do grande mestre, Masaharu Taniguchi, que diz, "Não existe Luz sem Fonte Luminosa, e nem Fonte Luminosa sem Luz". Tudo é tudo em Tudo.

      Excluir