- o que você procura?

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Freud, Psicanálise e Religião: Breves Considerações


Muitas das questões presentes neste estudo surgiram de dúvidas a respeito dos relatos de experiências religiosas e também de leituras filosóficas dentro do cenário teórico-acadêmico da Psicologia envolvendo a Psicanálise de Freud.
Questões como:
“De onde teria surgido a primeira religião?”
“Qual a explicação psicanalítica para a adoração de um Deus?”
O que é a religião para a Psicanálise?”
“A visão de religião para a Psicanálise permanece a mesma desde quando Freud lançou um olhar prévio?”
“O que alguns teóricos da Psicanálise contemporâneos pensam a religião?”
Na tentativa de buscar respostas e aventar mais hipóteses este estudo se moldou.
A cronologia aqui é visualizada na disposição em forma de capítulos que abarcam a evolução das idéias, de conceitos e de hipóteses consideradas relevantes na teoria de Freud para explanar a religião:
No capítulo um, em linhas gerais, o leitor visualizará quem eram alguns dos intelectuais que propagavam e desenvolviam teorias que discutiam a ciência e a religião com base nos ideais iluministas, positivistas e materialistas, influenciando diretamente a época em que Freud nasceu e se desenvolveu. Já o capítulo dois, em paralelo às influências do capítulo um, traz o desenvolvimento da questão deste estudo, desbravando com embasamentos teóricos propostos por Freud a evolução da religião na psicanálise. Assim o leitor poderá observar que é aqui disposto alguns dos principais pensamentos e idéias, tanto da vida pessoal como da vida profissional, que possibilitaram a Freud conclusões psicodinâmicas que são ainda hoje vigentes no cenário psicanalítico. No capítulo três o leitor poderá visualizar alguns complementos teóricos de autores que corroboram e que até mesmo discordam da visão de Freud sobre religião nos dias de hoje. Por fim, há a conclusão que traz a luz algumas reflexões bastante pertinentes a tudo que aqui foi descrito. O intuito da conclusão é, também, incitar o leitor à busca de novos caminhos para a obra freudiana a respeito da religião.
É importante ressaltar que ao longo dos capítulos, para que o leitor tenha compreensão mais acurada, procurou-se evidenciar alguns exemplos de cunho religioso e sua relação com a Psicanálise de Freud. Esses exemplos enriqueceram bastante o desenvolvimento do estudo, assim como a vasta pesquisa bibliográfica que clarificou os caminhos de maneira bastante positiva. Este estudo também pretende incitar no leitor a reflexão. Tanto que novas questões surgiram e estão à procura de respostas daqueles que se interessarem pelas diversas visões dos autores contemporâneos sobre a psicogênese da religião – tanto na teoria psicanalítica como na prática clínica.
 Obras de Sigmund Freud, como A Interpretação dos Sonhos (1900); Atos obsessivos e práticas religiosas (1907), Leonardo da Vinci (1910); Totem e Tabu (1913); Um estudo autobiográfico (1924); O Futuro de uma ilusão (1928); O Mal-estar na civilização (1930); A questão de uma Weltanschauung (1933); e Moisés e o monoteísmo (1939) foram imprescindíveis para a síntese de um embasamento robusto.
Obras de descendentes e dissidentes da psicanálise, que vasculham de maneira analítica a temática da religião alinhada à psicanálise, também foram eficientes para o desenvolvimento do estudo, como Um Judeu sem Deus (1992), de Peter Gay; Psicoterapia e Religião (1996), de Jorge W. F. Amaro; Por que Freud rejeitou Deus? Uma interpretação psicodinâmica (2001), de Anna-Maria Rizzuto; O Futuro e a Ilusão (2003), organizada por Karin Wondracek; e Freud e a Questão da Religião (2006), de Hans Küng.
Artigos e teses atuais também trouxeram visões e argumentos que agregaram à análise do estudo, como a Tese de Mestrado em Psicologia Clínica, da PUC-SP, da mestranda Patrícia Leirner Argelazi, publicada em 2008 e o artigo Dois Discursos de Freud sobre a Religião, também publicado em 2008, por Karla Daniele de Sá Araújo Maciel e Zeferino de Jesus Barbosa Rocha – trabalhos bastante utilizados como auxílio para embasamento teórico, explanações e esclarecimentos deste estudo. Para a pesquisa das obras, teses e artigos, palavras-chaves como “religião”, “religiosidade”, “fenômeno religioso”, “psicanálise” e “contemporaneidade” possibilitaram resultados acurados e ricos.
Portanto, espera-se que o conteúdo deste estudo contribua para novas pesquisas ainda mais completas e esclarecedoras sobre a temática da religião, que, ao contrário do que Freud previu, tem se tornado bastante recorrente na Psicanálise da atualidade.

[os capítulos desse artigo serão publicados a cada 5 dias]